"Se ficou triste,não faça de conta que nada se passa. Desabafe a dois, numa espécie de conclave de pais. Fúria guardada é que não pode ser!" Eduardo sá
Nada no Amor é por Acaso
EDUARDO SÁ
Nada no Amor é por Acaso

Nada no Amor é por Acaso

EDUARDO SÁ

Nos seus sessenta e muitos anos, Artur era um psiquiatra que gostava de trocar pílulas por histórias. Pelo seu consultório passavam pais em desespero, o ocasional suicida…Todos lhe depositavam no colo sonhos e dramas. Ele escutava, coração aberto q.b., olho distraído no ponteiro do relógio. Até que um dia lhe entrou pela porta Luísa, de longos cabelos dourados, a beleza escondida num camisolão pesado. Trazia com ela muitos passados, cicatrizes de amantes que foram ficando pelo caminho:
“Vou acumulando uma despensa cheia de destroços no meu coração.
E depois já não é uma despensa; é uma despensa e uma garagem. E depois são destroços por todo o lado. E pronto! Estou aqui. Com um bocadinho de esperança em si. Nem sei porquê.”
O psiquiatra ouviu e guardou mais esta história. Interessou-se um pouco mais, ansiou por puxar o fio àquela meada. Mas, por mais que ao fim do dia se refugiasse à sombra das magnólias e meditasse, a vida não parava e outros náufragos lhe aportavam ao cais. Como Jarbas, que lhe atirou de chofre: “Pode-se amar duas mulheres ao mesmo tempo?”
E é nesse labirinto, onde se desenham encontros e fugas, que Eduardo Sá inscreve o seu novo romance, Nada no Amor é Por Acaso. Espantado sempre com a persistência do amor, que cai e se levanta, o autor lembra-nos que quase tão difícil como nos entregarmos ao amor é conseguir não o fazer.
partilhar  
Anexos
Trailer
Notícias
Eventos
Hoje Não Vou à Escola!
EDUARDO SÁ
Livro de Reclamações das Crianças - eBook
EDUARDO SÁ
Quem Nunca Morreu de Amor - eBook
EDUARDO SÁ
Más Maneiras de Sermos Bons Pais
EDUARDO SÁ